Adoção no Brasil – Como Funciona? Demora? Entrevista e Fila de Adoção

A adoção é, sem dúvida, uma atitude de muito, muito amor. Muitas pessoas, mesmo algumas que já têm filhos biológicos, têm muito amor e carinho pra dar.

Em muitos casos, a adoção é a solução para muitos casais realizarem o desejo de terem uma família completa. O problema é que esse processo pode ser bem moroso. Aumentando a expectativa e o sofrimento das famílias e das crianças também.

Muitas dessas crianças acabam perdendo a oportunidade de serem adotadas, pois acabam deixando de fazer parte do perfil que as famílias procuram. Esse é outro problema que dificulta muito a adoção. Vamos conhecer um pouco mais sobre esse assunto.

Como funciona o processo de adoção no Brasil?

O processo de adoção no Brasil passa por várias etapas. Confira abaixo os principais requisitos para dar andamento ao processo:


  • Para adotar uma criança, a pessoa precisa ser maior de 18 anos. Além de ser necessário uma diferença mínima de 16 anos entre a pessoa que deseja adotar e a criança que foi escolhida. Devem ser apresentados os seguintes documentos: RG, CPF, comprovante de residência, certidão de nascimento ou de casamento, declaração médica de sanidade e saúde mental, comprovante de renda, certidão civil e criminal.
  • O estado civil não faz diferença.
  • De posse de todos os documentos necessários, o próximo passo é procurar a Vara da Infância e Juventude da sua região.
  • Foto de mãos abertas com uma família feita de papel em cimaÉ preciso que um defensor público ou um advogado providencie uma petição para iniciar o processo. Após a aprovação, o nome da pessoa que deseja adotar estará habilitado para a adoção.
  • A pessoa então passará por um curso de preparação psicossocial e jurídica, entrevistas e visitas de uma equipe especializada. Nesse período, a pessoa pode escolher o perfil da criança, sexo, idade, saúde, etc.
  • Depois que o juiz der a sentença, o nome da pessoa entra na fila de cadastros, com validade para todo o território nacional.
  • Quando aparecer uma criança compatível com as características escolhidas, a Vara da Infância entra em contato com a pessoa. A partir daí, podem acontecer visitas frequentes e passeios supervisionados. E a criança será ouvida também.
  • Estando tudo certo, a pessoa ganha a guarda provisória até o fim do processo, com visitas técnicas frequentes.
  • Depois que o juiz proferir a sentença, a pessoa ganha a guarda definitiva, com todos os direitos sobre a criança.

Como funciona a entrevista de intenção

Ao procurar pela Vara da Infância e Adolescência para expressar sua intenção em adotar uma criança, uma psicóloga da Vara da Infância entrevista a pessoa, ou o casal. A psicóloga começa a escrever um relatório para integrar ao processo que está sendo aberto. Mas somente depois que o formulário for preenchido.

Nesse formulário, os candidatos escrevem as suas características familiares e pessoais, suas condições econômicas e sociais, telefones, e-mail, endereço residencial.

Nesse momento também é definido o perfil da criança que se deseja adotar. É possível escolher a idade, a cor, o estado de saúde. E ainda se estão dispostos a entrar no cadastro Estadual de Adoção ou mesmo em nível Nacional. Pergunta ainda se a pessoa aceita crianças com alguma doença crônica, doença curável ou incurável, com lesões intelectual leve, média ou mesmo severa. Ou lesão física. E se aceita adotar irmãos, e até quantos irmãos aceita. A pessoa ou casal leva uma cópia do formulário consigo.

A temível fila de adoção

O fato de entrar na fila de adoção não significa que estarão logo com a criança. O perfil da criança escolhida pode dificultar um pouco. O cartório da Vara da Infância então faz uma busca de acordo com o perfil escolhido com as crianças que aguardam na fila. Entra-se em contato com a pessoa que deseja adotar e, havendo interesse, ambos se conhecem.

Quais os principais problemas e dificuldades envolvendo a adoção no Brasil?

Conheça abaixo dois dos principais problemas que podem dificultar bastante o processo de adoção no Brasil:

  • O perfil da criança escolhida. Crianças maiores enfrentam um grande obstáculo para conseguirem ser adotadas.
  • A burocracia que envolve todo o processo, que acaba causando uma enorme demora na adoção.

Muitas crianças acabam crescendo no orfanato por causa da demora do processo e por não encontrarem uma família que aceite as suas características. Muitas acabam fugindo dos orfanatos e marginalizando-se nas ruas.

Dados atuais sobre a adoção no BrasilCriança segurando a mão de um adulto

Confira abaixo como está a situação da adoção no Brasil:

– Mais de 40.000 cadastros de adotantes e menos de 10.000 crianças aguardando adoção.

– Sexo das crianças: a maioria dos adotantes preferem adotar meninas.

– O percentual de pessoas que desejam adotar as crianças brancas e pardas é muito melhor do que para as outras cores/raças.

– As crianças menores, os bebês e as que têm até 3 anos de idade são as preferidas.

Pergunta dos leitores

Quanto tempo demora o processo de adoção no Brasil?

O tempo total da adoção vai depender muito do perfil de criança que se deseja adotar. O processo de adoção é bem cauteloso, envolvendo cadastros, entrevistas e as visitas. Pode demorar, pelo menos, 1 ano. Dificilmente vai demorar um tempo menor que isso. Porém, pode chegar a durar até 5 anos, dependendo das dificuldades em encontrar a criança com o perfil desejado.