10 Maiores Remédios que Matam: Você Pode Estar Tomando e Não Sabe!

Não tem quem não saiba dos perigos que as drogas ilícitas podem causar à saúde. No entanto, o que muitas pessoas não se dão conta é como as drogas lícitas, como medicamentos, também possuem um potencial fatal. Isso porque até mesmo substâncias simples, que temos comumente em casa, podem causar um grande problema, sendo remédios que matam.

Então, para ficar atento e não correr esse risco, continue lendo e descubra tudo o que você precisa saber sobre remédios que matam. Vamos lá?!


 

Que tipo de remédio pode matar?

Existem muitos tipos de remédios que matam. Alguns atuam sós e outros apresentam potencial letal quando combinados com outras substâncias. Segundo Antony Wong, toxicologista coordenador do Centre de Assistência Toxicológica do Hospital de Clínicas da USP, a diferença entre um veneno e um remédio está apenas na quantidade da dose.

Além disso, a grande maioria das intoxicações acontecem no uso de medicamentos que são considerados inofensivos.

A classe de medicamento das benzodiazepinas, por exemplo, que são tranquilizantes utilizados no tratamento da ansiedade, convulsões e distúrbios do sono, podem ser letais. Dentre elas, podemos encontrar medicamentos como Valium, Lorazepam e Xanax.

De uma forma geral, medicamentos de uso psiquiátrico possuem um potencial letal grande. O pior de tudo é que eles são comumente receitados, fazendo com que as pessoas se sintam seguras no seu uso, mas é preciso cautela.

um frasco com remédios que matam

Lista de remédios que matam rapidamente

Como já foi dito, a diferença entre remédio e veneno está apenas na dose. Isso quer dizer que qualquer medicamento pode estar na lista de remédios que matam rápido. No entanto, alguns são potencialmente mais perigosos.

Por isso é que sempre deve-se atentar para seguir corretamente as orientações médicas e não exceder a dose, nem pratica a automedicação.

Remédios comuns que podem matar

O grande problema dos remédios que matam, é que eles são comuns e podem ser facilmente encontrados na casa da maioria das pessoas. Isso mesmo, os remédios que matam não são semente aqueles tarja preta, veja:

Vitaminas

Embora pareçam ser completamente inofensivas, o uso indiscriminado de vitaminas pode até matar. Isso é provado por estudos que provam que as vitaminas aumentam o risco de mortalidade. Por isso lembre-se que as vitaminas só devem ser ingeridas quando prescritas por um médico.

Dipirona

A dipirona é um dos remédios que matam e que quase todo mundo tem em casa, especialmente quem tem filhos. Ela tem ação antitérmica e analgésica sendo bastante recomendado por pediatras.

O que se sabe é que ela pode contribuir para o desenvolvimento de doenças como potencial letal. Em alguns países, o medicamento até já é proibido.

Ácido acetilsalicílico

Bastante comum, com versão adulto e infantil, esse é mais um dos remédios que matam. Quando utilizado em excesso, pode ocasionar grandes danos e ainda afetar órgãos importantes. Isso porque a aspirina atua interrompendo o metabolismo celular e prejudicando o sistema nervoso.

Seu efeito ainda pode afetar os pulmões, coração, rins e fígados. No caso de uma overdose, pode causar insuficiência respiratória, cardíaca, renal, convulsões, coma e morte. Por isso, cuidado!

Paracetamol

Quem é que não tem uma cartela de paracetamol em casa? Esse conhecido analgésico e antipirético é um dos remédios que matam. Isso porque em excesso ele pode causar riscos para o organismo e para a saúde.

Antibióticos

Esses medicamentos só devem ser utilizados quando prescritos no combate à infecções. Nada além disso! O uso constante do mesmo pode diminuir a resistência à infecções.

Remédios que podem causar parada cardíaca

um médico com remédios na mão

Quando o assunto são medicamentos, todo o cuidado é pouco porque existem remédios que matam. Como já vimos, até mesmo medicamentos simples podem levar a morte por diversos meios e alguns deles por causa de uma parada cardíaca. Por isso, nada como conhecer esses medicamentos e ficar atento.

Os medicamentos AINES (anti-inflamatórios não esteroides) são medicamentos amplamente utilizados no mundo inteiro. Entre eles, podemos citar o ibuprofeno, que pode ser comprado em qualquer farmácia, sem prescrição médica, por qualquer pessoa para uso indiscriminado.

O fato é que pesquisas recentes comprovam que o uso de determinados anti-inflamatórios não-esteroides podem ser extremamente prejudiciais para a saúde do coração. Além disso, está associado o risco aumentado de parada cardíaca.

Sendo assim, os especialistas envolvidos sugerem que o uso do ibuprofeno seja reduzido ao máximo. Vale lembrar que alguns medicamentos desse mesmo grupo também apresentam risco aumentado de ataque cardíaco. Por isso, especialistas recomendam que esses medicamentos sofram um controle mais exigente. São eles:

  • Diclofenaco
  • Naproxeno
  • Ibuprofeno
  • Inibidores seletivos da COX-2 celecoxib, conhecidos como Celebra e rofecoxib, que já foram retirados de circulação.

Combinações perigosas de remédios que matam

4 remédios com caveiras nela

Primeiramente, é preciso lembrar que qualquer medicamento pode levar ao surgimento de reações adversas. Mesmo tendo sido desenvolvido para tratar uma doença, ele pode também oferecer riscos à saúde. Por isso é que e tão importante não praticar a automedicação e usar medicamentos somente sob prescrição médica. Isso porque existem muitos remédios que matam, especialmente quando combinados.

Vale lembrar que a interação entre medicamentos pode acabar intensificando ou anulando o efeitos deles. Isso sem falar no risco de ocasionar um novo problema. Sabendo disso, veja algumas combinações que podem ser perigosas:

Ácido acetilsalicílico + anti-inflamatórios: Pode irritar a mucosa gástrica por seu efeito somado aumentando o risco de úlcera e gastrite.

Paracetamol + anti-inflamatórios: podem ocasionar problemas renais e hepáticos.

Anfetaminas (antigripais) + antidepressivos: pode elevar a pressão e causar delírios.

Corticoides + anti-inflamatórios: eleva a retenção de sal e líquidos, ocasionando inchaço. Pode elevar a pressão, irritar o estômago e causar sangramentos e formação de úlceras.

Antidepressivos + emagrecedores: elevação da pressão arterial e taquicardia.

Ansiolíticos e inibidores de apetite: confusão, irritabilidade, mudança nos batimentos cardíacos e tontura.

Anticoagulantes + antifúngicos: pode causar arritmia cardíaca.

Anti-inflamatórios + anticoagulantes: elevação no risco de hemorragias.

Pergunta dos leitores

Qual remédio matou o Michael Jackson?

Segundo o laudo, o remédio utilizado por Michael Jackson foi o Propofol. Segundo o médico, o músico recebia doses diárias da substância para dormir, encerrando a aplicação intravenosa quando queria acordar.

Pronto, agora você já sabe um pouco mais sobre os remédios que matam e como evitar problemas com medicamentos. Nunca se automedique e procure sempre a orientação de um médico!