Separação: Como Evitar? Como Funciona o Divórcio e a Divisão de Bens?

A separação é uma realidade que atinge a milhões de homens e mulheres no mundo. Segundo as Estatísticas do Registro Civil 2016, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), foi registrado no Brasil cerca de 1.095.535 casamentos civis em 2016. Desse montante, 1.090.181 casamentos  ocorreram entre pessoas de sexos diferentes e 5.354 entre pessoas do mesmo sexo. Foi registrado ainda, a queda de 3,7% de  casamentos ao ano, em relação ao ano anterior.

Foi divulgado ainda que, no mesmo ano, a pesquisa detectou a concessão de 344.526 divórcios, em 1ª instância ou por escrituras extrajudiciais. Houve ainda um aumento de 4,7% em relação ao ano de 2015. Ainda no ano de 2015 foram registrados 328.960 divórcios.


Embora esse não seja um assunto agradável, não podemos ignorá-lo, tendo em vista o número separações que cresce diariamente entre os casais.

A separação é um momento difícil e que tende a trazer muita dor ao casal. Afinal.  o casal que um dia sonhou em construir uma vida, já não olha na mesma direção. As promessas de amor eterno, as viagens planejadas e tantos outros sonhos agora se tornam sonhos do passado.

A dor é inevitável, mesmo quando se está esperando que isso um dia ocorra. O fato é que um casamento envolve uma série emoções e afetividades . Num casamento dividimos amor, companheirismo, cumplicidade, projetos (…). É através do casamento que passamos a  dividir amor e intimidade com o outro. Por essa razão, ir embora nem sempre será fácil.

um casal após a separação

Como saber se o casamento está próximo de uma separação?

Ninguém inicia um relacionamento pensando em separação. Porém, manter uma história eterna nem sempre  é possível. Portanto, se você não sabe em que pé está sua relação ou tem medo de se separar fique atenta a esses sinais.

  1. Torcer para que o parceiro termine o relacionamento – Terminar um relacionamento não é uma tarefa fácil. Além disso, é muito ruim ser portador de más notícias. Com medo de carregar essa pecha, muitas pessoas preferem sabotar a relação à terminá-la; Tudo isso, nutrido pela esperança de que o parceiro tome  a decisão final. Porém, é melhor criar coragem e terminar o relacionamento de vez do que machucar pessoas.
  2. Outras pessoas  se tornam mais interessante –  Com o passar do tempo é comum que o encantamento diminua. Observe se você já não consegue enxergar nenhuma qualidade no seu parceiro ou só enxerga qualidade nos outros.
  3. Desaparecer se torna  arte – Quando até sair com sua mãe pra ver a tosa do cachorro lhe parece mais atraente e você some para “comprar cigarros”, se sentindo aliviado por estar longe.
  4. O interesse e admiração somem –  De repente aquela pessoa se torna chata e inconveniente. A sintonia vai pro espaço e você mal tem vontade de conversar. Namorar se torna uma tortura.
  5. Você esconde ou é escondido pelo parceiro para o mundo – Nesses caso há uma dificuldade de admitir estar vivendo  um relacionamento, até porque você não  está emocionalmente envolvido.Na verdade o que você quer mesmo é esquecer que a pessoa existe e pensar nela incomoda muito mais que dá prazer. A proximidade física é evitada e os programas a dois inexistente.
  6. Você ou seu par se tornou agressivo – Sem comentários né? ta na cara que essa relação não está fazendo bem a nenhum dos dois. “Fuja já “daí””!!!

Como proteger o seu casamento de uma separação?

O casamento é uma experiência maravilhosa, mas pode vir a se tornar algo frustrante   e desagradável quando não sabemos  dele cuidar. Cuidado esse que deve ser administrado a dois e nunca apenas por uma parte. Caso contrário, é bem possível que você acabe sofrendo uma separação ou no mínimo um relacionamento infeliz. Veja essas orientações.

  1. Mantenham os princípios básicos de qualquer convivência: respeito companheirismo.
  2. Sejam solidários e parceiros um do outro.
  3. Evitem briguinhas desnecessárias.
  4. Esqueçam o charminho. De vez em quando ainda se tolera, mas  se feito persistentemente, você se torna um grandessíssimo chato (ninguém merece).
  5. Sejam maleáveis e busquem, acima de tudo, viver momentos de leveza e muito carinho.
  6. Não critique seu parceiro por tudo. Ninguém gosta de gente que só reclama..
  7. Busque ser gentil e agradável, o ambiente em que você vive requer leveza.
  8. Não apontem erros com rispidez ( grosseria é intolerável).
  9. Tentem não cair na rotina e valorizem datas importantes como aniversários de casamento. É uma forma de renovar votos e mostrar que a pessoa te faz feliz.
  10. Busquem fugir da rotina – Sabemos que a correria do dia a dia dificulta bastante, mas até um café da manhã na cama ou assistir  TV coladinho com um bom vinho, pode fazer a  diferença.
  11. Não poupem afetos. Um carinho a mais, um docinho comprado para seu amor durante a volta do trabalho ou mesmo um elogio,  faz toda a diferença.
  12. Valorizem-se. Ambos são especiais.

Seja paciente e um bom ouvinte

um coração feita na areia sendo destruido

Se você não deseja a separação fique atento a um ponto que contribui bastante para a finitude dos relacionamento. Saber ouvir  e ter repeito pelo desconforto do outro é fundamental. Alguém que não escuta e/ ou é insensível a dor alheia, dificilmente vive uma relação estável. É ouvindo o parceiro que você passa a entendê-lo ainda melhor e, sendo compreensível se tornar seu melhor amigo. Seja sábio.

Não procure sexo durante uma crise de separação

Na nossa sociedade, o sexo tende a  estar acima das pessoas e de seus relacionamentos. Em momento algum procure sexo durante uma crise de separação. De fato, essa atitude em nada vai ajudar, bem pelo contrário. No caso de uma crise de separação apenas duas coisas devem ser feitas: tentar reconciliar-se ou, caso não dê certo, se separar em definitivo. Evite o fim de uma relação com desgastes desse nível, principalmente se vocês tem filhos.

Como cuidar dos filhos após uma separação?

O cuidado com os filhos após a separação é uma preocupação justa. Gente, a frase é repetitiva, mas não pode deixar de ser dita: “o relacionamento acaba, mas os filhos permanecem”. Essa é uma frase que não só deve ser dita como também vivida pelo e para os filhos. A separação meche emocionalmente com a maioria das crianças que se sentem inseguras. A elas, é preciso garantir-lhes a segurança de que o papai ou mamãe saiu apenas de casa e não de suas vidas.

Evitem brigas e agressões de qualquer natureza na frente das crianças. Ensine-os uma herança de amor e respeito.

Pensão alimentícia

uma mulher no balanço sozinha após uma separação

É meio constrangedor falar sobre esse assunto, porque para nós, é realmente muito triste que tantos pais sejam tão insensíveis e inconscientes. O amor acabou e casamento afundou como o Titanic. O casal esquece profundamente o passado, ok? Não cara pálida!! Lembrem-se das crianças! por incrível que pareça, mesmo com  a separação e consequente saída de um e vocês elas continuam comendo, vestindo, indo à escola e ao médico, enfim, existindo. Portanto, lembrem-se de suas obrigações econômicas.

Antes de criar qualquer desconforto, entenda que a pensão alimentícia não precisa e nem deve ser um drama  a ser vivido com o envolvimento do juiz. Com bom senso e diálogo, é possível entrar num acordo de cavalheiros e decidir a melhor forma de sanar as necessidades dos filhos de forma justa para ambos.

Divisão de bens

Numa separação,a  divisão de bens é uma questão técnica mas que por vezes gera muitos conflitos. Por isso, é imprescindível que antes de se casar, esse detalhe seja pensado. Vejam como pretendem se casar: com comunhão parcial de bens, separação de bens ou mesmo com participação final nos aquestos. Entenda os tipos de partilha.

  • regime de comunhão de bens – com o divórcio, os envolvidos dividem todos os bens. Não só os adquiridos ao longo do casamento como os que já possuíam antes de se casar.
  • separação de bens –  todos os bem adquiridos individualmente deverão ficar com seus respectivos proprietários.
  • participação final nos aquestos – com esse regime, apenas os bens adquiridos ao longo do casamento são  contabilizados e posteriormente divididos a metade.